Últimas Notícias

Vice-Prefeita de Tefé abre o jogo em entrevista bombástica

ICLEA-E-ANTENOR-300x224

Colocada de escanteio; cansada e indignada dos desmandos do atual Prefeito de Tefé, Antenor Paz (PSD), a Vice-Prefeita Icléia Pessoa Rego (PTN), abriu o jogo em uma entrevista bombástica para o Blog da Floresta.

 

Nascida no Maranhão, Icléia Pessoa Rego (PTN), 36 anos, chegou a Tefé (AM), onde teve duas filhas e se fez abraçada pela cidade e sua gente. De comerciante a política, Icléia, elegeu-se como vice-prefeita da chapa vencedora das eleições municipais de 2012. Atualmente está rachada com o atual prefeito Antenor Paz (PSD) e defende uma causa: a transparência na coisa pública.

BF – Com seu deu sua incursão na vida pública e como foi sua ida para a politica?

IcléiaLogo quando cheguei a Tefé eu era comerciante. Após isso, trabalhei por cinco anos na administração do ex-prefeito Sidônio Gonçalves. Foram três anos na recepção da prefeitura e dois anos como assessora da então vice-prefeita Socorro Leandro. Nesse meio tempo fui convidada para me filiar a um partido político. Um ano depois me lançaram a vice-prefeita pelo PTN. Até então me surpreendendo, pois eu não esperava.

BF – A senhora participou ativamente da candidatura do atual prefeito de Tefé, Antenor Paz.  A senhora atuou diretamente na campanha como candidata a vice. Como foi a sua caminhada na campanha?

IcléiaFoi muito difícil. E eu era candidata à vereadora e de repente me lançaram candidata a vice-prefeita. Foi difícil e sofrido. Me colocaram nessa situação. E eu me preparei na verdade pra ser parlamentar. Foi uma surpresa. Eu não podia recuar. Como candidata a vice-prefeita, foi árduo. Foi um sofrimento, pois quando passei a caminhar convidei a esposa do prefeito para atuar na campanha.

BF – A senhora se refere à primeira dama do Município, Dona Tereza Cristina Paz, atual secretária de finanças de Tefé?

IcléiaEla é secretaria de finanças, administração e planejamento. Eu andava com ela em campanha. Até então, nesse período, presenciei muitas situações que houve prejuízo às pessoas. Houve comprometimento por parte dela…

BF – A senhora se refere exatamente a quê?  O que foi feito na campanha que não houve comprometimento?

IcléiaO que quero relatar é que houve compra de voto mesmo.  A primeira dama Tereza Cristina Paz estava se comprometendo. As pessoas pediam ajuda e ela se comprometia a ajudar mediante voto.

BF – Em troca de dinheiro? A senhora presenciou isso?

IcléiaSim. Presenciei.

BF – A senhora tem noção da gravidade do que está falando?

IcléiaSim.

BF – Foi por essa razão que há 20 dias quando a senhora assumiu a prefeitura,a senhora exonerou do cargo de secretária municipal de finanças, a primeira dama, dona Tereza Cristina?

IcléiaCom certeza. Com o comprometimento que ela fez, prometendo que seu esposo sendo eleito elaconseguiria emprego para as mães de família, dando 30,50, 100 reais, ela andava e fazia mesmo. As pessoas no nosso município são carentes, humildes e necessitados. E eles acreditaram. Aqueles pais de família acreditaram sim. Ate então é uma mulher. O comprometimento e uma palavra de uma mulher. Ela se comprometeu em conseguir empregos. E resolvendo a situação financeira naquele momento. Ela entrava nas residências com algumas pessoas e ali ela repassava dinheiro. Quando não passava no momento ela passava no dia seguinte e entregava (o dinheiro) a essas senhoras.

BF – A sua atitude em exonera-la foi em função das cobranças feitas por essas pessoas?

IcléiaSem a menor duvida. Senti vergonha. Procurei a primeira dama várias vezes.  Em janeiro começaram as exonerações. Em fevereiro houve contratações. De dois em dois meses aconteciam novas demissões. Eu a procurava e perguntava sobre as contratações. Tudo se complicava e a situação ficava mais grave no município. Eu levava pleitos ao prefeito, falávamos sobre a administração da cidade. Nesse meio tempo, essa senhora se intrometia sempre. Pois tudo é diretamente com ela e não com ele (prefeito). Tomei a decisão de exonera-la, com certeza, porque ela não está apta para exercer a função. Na minha concepção ela é corrupta e corruptora.

BF – A diferença do primeiro para o segundo colocado nas eleições para prefeito em Tefé foi uma diferença de apenas 87 votos. A senhora acha que essa diferença aconteceu em função dessa compra de votos?  Vocês perderiam as eleições?

IcléiaSim. Perderíamos com certeza.

BF – Existe uma demanda jurídica no Tribunal Regional Eleitoral, onde o segundo colocado do pleito aponta que houve aberta compra de votos nas eleições de 2012 em Tefé. A senhora reitera que houve compra de votos em Tefé?

IcléiaCom certeza. Por parte da primeira dama e muita das vezes por parte do próprio prefeito Antenor Paz.

BF – Como está sua situação como vice-prefeitaem Tefé. A senhora está de escanteio?

IcléiaEstou sim. Com certeza. Nem sei explicar o porquê. O que mais fiz foi somar. Graças a Deus, o povo de Tefé tem um grande respeito por mim. Nunca desrespeitei aquele povo. Estou decepcionada com o prefeito. As humilhações que o povo passa é lamentável, dói. Como eu disse a um vereador – não vou citar nomes – eu disse que tenho alma e coração. E eu presenciando esse sofrimento de Tefé, não entrei para enricar na política e sim pra trabalhar, pois o povo imagina que elege seus verdadeiros representantes. Tefé é carente, humilde, sinceramente é o que posso fazer em prol desse povo em respeito a eles.

BF – A senhora gostaria de falar mais alguma coisa?

Icléia – Quero falar do prefeito Antenor Paz. De quantas vezes o procurei para que conversássemos. Pois ele deve explicações não só a mim como vice-prefeita, mas com a população. Quando ele soube que eu assumiria como prefeita interina, o secretário da casa civil proibiu minha entrada, fecharam a prefeitura com cadeado. Me intimidaram, assim como eles fazem com os pais de família da cidade de Tefé.

As práticas das licitações na cidade são ilícitas. São dirigidas. Não há transparência pública de nenhuma forma. Os vereadores deveriam assumir seus verdadeiros papeis e fiscalizar tudo isso, atuando com dignidade. Tefé precisa urgentemente de investigação.

BF – A senhora está preocupada com suas denuncias?

Icléia – Sim. Muito preocupada. Sou ameaçada, perseguida. Ele (o prefeito Antenor Paz), disse na rádio, ao vivo, confessou que bota (sic) vigia pra me seguir 24 horas. E quem vai até a ele e fala de mim ele diz que eu “tô é lascada”, expressões sem nenhum perfil. Mas o que não me falta é coragem. Isso minha mãe me ensinou, medo não tenho.

Fonte: www.blogdafloresta.com.br

Comments

comments

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>